Home DEFINIÇÃO MUSCULAR Ciclos de treinamento: como funcionam?

Ciclos de treinamento: como funcionam?

63439
1

Ciclos de treinamento: como funcionam?

Talvez você já tenha ouvido falar de ciclos nos treinamentos, mas não tenha atentado à importância deles na obtenção de bons resultados físicos.

Para algumas pessoas, o ciclo não passa de um termo técnico utilizado por profissionais da área. Para outros é algo simplesmente desconhecido.

O fato é que os treinamentos possuem ciclos ! De uma forma ou de outra eles interferem na sua performance ao treinar e também na conquista de metas a curto e longo prazo.

Os treinos tem ciclos? Como funcionam?

De acordo com Cacá Ferreira, Gerente Técnico da Cia Athletica: “A construção cíclica do treino é conhecida também como periodização. Está estruturada em fases cíclicas de acumulação, estabilização e perda temporária da condição do organismo”.

Esta constatação se deu inicialmente a partir da prática e foi reafirmada posteriormente em inúmeras pesquisas científicas.

Quer saber um pouco mais sobre essa metodologia tão recorrente nos planos de treino atuais?

Então confira nosso artigo e fique por dentro dos ciclos!

O que são ciclos de treinamento?

Os ciclos partem do princípio de que nosso corpo funciona regido por dois fatores específicos:

  • aptidão física (força e habilidade)
  • fadiga (cansaço e desgaste).

Cada metabolismo trabalha de uma forma diferente, com necessidades distintas de estimulação e recuperação.
Cada corpo tem um tempo diferente para responder às atividades físicas.
A periodização cíclica surge para proporcionar treinos individualizados  na busca por maior eficiência  nos resultados.

Qual a importância dos ciclos?

Estabelecimento de metas, planejamento estratégico, colocação do plano em ação e alcance de bons resultados. É ou não é a receita ideal para qualquer treinamento?
Pois bem! É exatamente isso que a periodização propõe.
Vale destacar que a construção cíclica dos treinos funciona através de subdivisões que possibilitam que o treinamento tenha uma sólida lógica de controle e progressão.
Treinar em ciclos é trabalhar o corpo de forma sistemática e organizada, oferecendo estímulos programados e pausas adequadas para o restabelecimento fisiológico e muscular.
Esse método é superimportante para que o atleta descanse quando necessário e tenha energia suficiente para dar tudo de si quando exigido.

Como é definido o ciclo?

Antes de elaborar um ciclo de treinamento, o profissional, juntamente ao aluno, define um objetivo e um prazo realista para a conquista desse objetivo.
Cumpre salientar que nessa etapa, as condições físicas e clínicas do atleta são levadas em consideração.
Após a análise do perfil do aluno, é feita a periodização em dias, meses ou anos, sendo que esse tempo dependerá diretamente das metas estabelecidas e da aptidão física do atleta.

Quais os tipos de ciclo?

  • Macrociclo: O macrociclo é um plano de periodização que organiza o treino a longo prazo, podendo ser anual, bianual ou olímpico, com a duração de 4 anos.
  • Mesociclo: É o conjunto de microciclos, ou seja, o agrupamento de treinos menores. Cada mesociclo pode ter de 1 a 12 microciclos.
  • Microciclo: É a menor unidade do treinamento, sendo composto de 1 até 4 semanas de treino. Caso essa periodização se estenda por 6 semanas, será chamada de  microciclo extensivo.

Os ciclos de treinamento e seus objetivos

Ciclo Básico (4 a 8 semanas)

O trabalho é introduzido com aprendizagem motora, sobrecargas de peso e aquecimento. Nessa periodização o número de repetições varia e as séries são estabelecidas de acordo com as necessidades e condições físicas do atleta, lembrando que há um aumento de carga após a 4ª aula.

Ciclo Adaptativo (4 a 8 semanas)

Intensificação do treino de valências físicas (resistência muscular e resistência cardiovascular). Além disso, os treinamentos específicos de força e velocidade são introduzidos.
Nesse ciclo trabalha-se em circuitos, buscando a otimização da resistência muscular e da capacidade cardiorrespiratória.

Ciclo Específico (4 a 12 semanas)

Nesse ciclo trabalha-se a quantidade de repetições com as sobrecargas necessárias para o fim específico, por exemplo: 5x 10 para hipertrofia, 6 x 3 para força e assim por diante.

Ciclo de Transição (1 a 4 semanas)

Nesse tipo de periodização a finalidade é manter o corpo em treinamento mínimo depois de um longo período de treinamento com o mesmo objetivo.
Esse ciclo é muito utilizado na estabilização, a fim de que o organismo não se acomode com os estímulos do treino.
Nos ciclos de transição, o corpo é desafiado e a força é reajustada para construir e manter a massa muscular.

Ciclo Readaptativo (1 a 4 semanas)

Todos os trabalhos nessa periodização são voltados para o recondicionamento físico.
Isso acontece quando a pessoa que seguia um plano regular de malhação abandona o treino.
Quando a pausa vai de 15 a 30 dias as repetições variam de 16 a 20 ou de 21 a 30. Já as cargas reintrodutórias serão de 50 a 59% ou 40 a 49% da força individual.
Se a pausa for mais curta (7 a 10 dias), as cargas devem ser normais, mas o volume de treino será reduzido.

Ciclos de treinamento.
Ciclos de treinamento.


Você treina em ciclos e nem sabia? Viu como a periodização é importante para a conquista das metas na academia?
Agora que você já sabe disso, que tal se dedicar ainda mais na execução dos exercícios em ciclos?

1 comentários

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Por favor, digite seu nome