Será que dá para acreditar que só fazer caminhada emagrece? Essa é uma dúvida que muitas pessoas têm diante de tantas atividades físicas mais dinâmicas e complexas. Veja neste post se a caminhada para perda de peso é uma boa atividade para quem quer entrar em forma. Fazer caminhada emagrece? Já sabemos que, de modo geral, os exercícios físicos melhoram o condicionamento e o humor, além de reduzir os riscos de algumas doenças. Além disso, todo mundo já sabe que crossfit emagrece e correr emagrece, mas será que caminhada emagrece também? Mito ou verdade? Antes de ter essa resposta, vamos conhecer os benefícios da caminhada: Acelera o metabolismo e gasta energia; Trabalha a musculatura das pernas; Aumenta a capacidade cardiorrespiratória; Reduz hipertensão e níveis de colesterol; Ajuda a desestressar; Combate depressão; Traz benefícios ao cérebro; Caminhada ajuda a emagrecer. Quanto tempo devo caminhar para perder a barriga? Caminhar 30 minutos por dia perde barriga? Quantos minutos de caminhada para perder barriga? Fazer caminhada emagrece e faz perder barriga, mas é preciso ter constância e um tempo mínimo por dia, caso contrário, não irá trazer o objetivo desejado. Para responder a pergunta acima: 30 minutos de caminhada por dia ajudam, mas para perder barriga é preciso queimar gordura abdominal e para isso é preciso que essa caminhada seja muito intensa. Para intensificar a caminhada você pode acelerar os passos ou caminhar em um terreno com inclinação maior (subidas). Segundo o cardiologista Nabil Ghorayeb, para quem tem como meta emagrecer, a caminhada ajuda perder barriga se for feita idealmente por no mínimo 60 minutos por dia. E a constância é muito importante. Leia mais: Alimentos para ganhar massa muscular Exercícios para perder barriga Por que caminhada emagrece? Como um exercício aeróbico que promove queima calórica, a caminhada permite perder a barriga e é eficiente para a perda de peso. Essa atividade faz parte das indicações da Organização Mundial da Saúde, que sugere que as pessoas pratiquem atividades leves e moderadas por pelo menos 150 minutos por semana. Muitos vão entender que caminhar todos os dias emagrece e começar a praticar assim, já outros vão preferir concentrar essa quantidade de minutos em menos dias da semana. A maioria dos estudos assegura que a caminhada para perder barriga seja praticada todos os dias, mas importante também é ter uma boa orientação para iniciar os seus treinos. Um bom incentivo para investir na caminhada é porque é uma atividade fácil de começar. Você pode começar com ritmo leve e permite depois aumentar o ritmo gradualmente para proporcionar maior queima calórica. Mas quer saber quanto tempo de caminhada para emagrecer? Um treino acelerado de 30 minutos por dia já poderá produzir bons resultados na balança. Emagrecer caminhando também pode ser uma boa medida para quem não faz nenhum treino porque é uma atividade que pode ser praticada em qualquer lugar. É possível comprovar que caminhar na esteira emagrece e até mesmo potencializar esses resultados da academia de outras maneiras, como trocando o carro por passeios a pé ou até deixando o automóvel estacionado a distâncias maiores de onde você deve ir, para proporcionar oportunidades de andar mais. São muitas as formas de emagrecer caminhando: outro jeito de perder mais calorias caminhando, é fazer caminhadas frequentes com o seu pet. Fazer caminhada com cinta ajuda a perder barriga? Não existem estudos científicos que comprovem que o uso de cintas durante os exercícios ajudam a perder barriga. As cintas são utilizadas para modelar o corpo, comprimindo-o, mas ao removê-la, o corpo volta ao normal. Bicicleta ou caminhada para perder barriga? Sabemos que a caminhada ajuda a perder barriga, mas será que, entre bicicleta e caminhada, uma dessas é melhor para esse objetivo? Ambos podem ser feitos ao ar livre ou em algum ambiente fechado, utilizando equipamentos próprios para isso, como uma esteira e bicicleta ergométrica. A bicicleta é um exercício aeróbico que promove a queima de caloria, o que ajuda a perder barriga. A perda de calorias é de em média 400 calorias por hora. Trabalha os músculos de diferentes regiões: quadríceps, posterior da coxa, panturrilha, glúteos. A caminhada também é um exercício aeróbico que, aliado a uma alimentação adequada, ajuda a emagrecer. Em 1 hora, pode queimar de 300 a 400 calorias. Portanto, a verdade é que não existe uma opção melhor, ambas possuem os seus benefícios específicos e podem ser complementares. Também é importante praticar a atividade física que mais agrade porque o mais importante é ter constância nos exercícios. Fica difícil essa regularidade quando o praticante não gosta do exercício. Além disso, é essencial ter controle da alimentação, assim é possível alcançar os objetivos de perda de medidas. Método HIIT Seja caminhando ou pedalando, caso queira aumentar o seu gasto calórico, pode aderir ao método HIIT, que consiste em fazer exercícios em alta intensidade em períodos curtos. Para isso, primeiro é necessário se aquecer. Depois pode começar a aplicar o método, caminhando ou pedalando por 30 segundos na maior intensidade possível e depois descansando. Mesmo sendo pouco tempo, os 30 segundos fazem o coração e os pulmões trabalharem mais. Com o tempo, é possível ir aumentando o tempo de exercício intensivo e diminuindo o tempo de descanso. Como emagrecer caminhando? Para quem quer perder peso ou até manter o peso depois de uma grande redução de medidas, o indicado é garantir um esforço maior do que os 150 minutos recomendados pela OMS. A perda de peso com a caminhada vai variar de pessoa para pessoa, especialmente da disciplina de treinos e cuidados com alimentação. Para emagrecer com caminhada também será importante atingir pelo menos um nível cardíaco de intensidade moderada, que aumenta a sua frequência normal de 50% até 70% da sua frequência cardíaca máxima. Assim, a prática estará sim entre os exercícios para emagrecer. Uma dica para conseguir aumentar ainda mais essa frequência cardíaca (atingindo de 70% a 85%) e ajudar na queima calórica, é incluir a corrida no seu plano de caminhada para emagrecer. Por exemplo, para cada 3 minutos de caminhada é possível praticar um 1 minuto de corrida, depois mais 4 minutos de caminhada e voltar com 2 minutos de corrida. Essas variações poderão ser intercaladas em um treino de 30 minutos. Com esse ritmo mais vigoroso, pode gerar uma queima de até 300 calorias. Se você realizar apenas o treino em intensidade moderada na caminhada, para ter a mesma queima calórica, deverá caminhar por 60 minutos. Como caminhar para emagrecer: outras dicas As variações no seu treino vão ajudar a potencializar os resultados e você verá que a caminhada emagrece mesmo. Veja algumas dicas: 1 – Suba morros Na esteira, coloque em uma inclinação semelhante a estar subindo um morro. Com esse declive, você vai aumentar a sua frequência cardíaca e permitir uma queima calórica mais acentuada. 2 – Inclua treinamentos de resistência Outra forma de potencializar os resultados da sua caminhada para emagrecer é somar os treinos de resistência, com cargas, que ajudam a construir massa muscular magra também. Nesses treinos poderá praticar flexões, agachamentos, mergulhos e outros exercícios funcionais também em intervalos curtos e de alta intensidade. 3 – Use um colete pesado na sua caminhada Pesquisas já comprovaram que usar um colete pesado enquanto caminha ajuda o corpo a trabalhar mais. Para pessoas que usam um acessório que pese 15% do seu peso normal, enquanto praticam uma caminhada de intensidade moderada, poderá queimar até 12% a mais de calorias. No entanto, nem todas as pessoas devem usar este peso adicional, pois ele pode colocar stress sobre as articulações da coluna e joelhos. Consulte sempre um profissional de Educação Física antes de adicionar qualquer tipo de carga aos seus treinos. 4 – Contar passos ajuda a medir perda de peso Pesquisas demonstram que caminhar emagrece se o atleta acumula pelo menos 15 mil passos por dia. Se considerar que é muito para iniciar, vá aumentando gradativamente. Uma boa dica é adotar os aplicativos de celular para realizar essa contagem. Ao chegar nessa marca, com o tempo, verá que fazer caminhada emagrece e perde barriga, que é uma meta que a maioria das pessoas que querem perder peso sonham em atingir. 5 – Cuide da alimentação Outro grande segredo da perda de peso com a caminhada é não ingerir mais calorias do que são queimadas pelo exercício físico. Para as nossas funções metabólicas, é preciso 70% a 75% das calorias que gastamos todos os dias. Por isso, é preciso também muito cuidado com a alimentação, se a sua ideia em praticar caminhada é emagrecer. Mas isso não significa que deva morrer de fome antes ou após o treino, porém, é preciso incluir alimentos saudáveis em sua rotina, com carboidratos complexos, frutas, legumes, proteínas e gorduras benéficas, como a das oleaginosas. Busque uma orientação nutricional para ganhar bons hábitos alimentares e saber quais são as porções adequadas para quem está querendo perder peso associado à caminhada. Simulador de caminhada perde barriga? Por conta da falta de tempo e da vida atribulada, muita gente prefere praticar exercícios físicos em casa, sem precisar ir à academia ou sair ao ar livre, por isso investem em equipamentos como esteira, bicicleta ergométrica, simulador de caminhada e outros mais para poder se exercitar. No simulador, é possível fazer exercícios com o método HIIT, alternando a intensidade, o que faz com que o gasto calórico seja ainda maior. Conclusão Agora que sabe como emagrecer fazendo caminhada, não se esqueça que a hidratação também é fator fundamental para o sucesso do seu treino. Além disso, compre um tênis adequado para os seus exercícios, que sejam flexíveis, macios e com alta absorção de impactos, que vão minimizar ainda mais qualquer possibilidade de lesões nas articulações.

Caminhada emagrece? Saiba se é verdade ou mito!

Será que dá para acreditar que só fazer caminhada emagrece? Essa é uma dúvida que muitas pessoas têm diante de tantas atividades físicas mais dinâmicas e complexas. Veja neste...
Atualmente é muito comum que as pessoas busquem exercícios para emagrecer, visando uma vida mais saudável, além da questão estética. Mas você sabe qual é o melhor exercício para emagrecer? Leia esse post para obter algumas respostas. Exercícios para emagrecer na academia Segundo a Associação Brasileira de Nutrologia, o emagrecimento, além de melhorar a eficiência cardiovascular, também pode proporcionar benefícios como: Reduzir a pressão arterial; Diminuir a gordura acumulada e visceral; Melhorar pele e unhas; Diminuir o risco de diversas doenças. Conheça alguns dos melhores exercícios para emagrecer: Orange Zone Exclusividade da Cia Athlética, o Orange Zone é uma aula coletiva que tem objetivo de promover emagrecimento, alia treinos de 25 a 30 minutos de exercícios nas esteiras e remadores e 25 a 30 minutos de exercícios funcionais. Nas aulas, que podem durar de 45 minutos a 1 hora, é possível queimar 480 calorias, porque os exercícios acionam diversos grupos musculares e proporcionam aumento da capacidade cardiovascular. Spinning Entre os exercícios aeróbicos para emagrecer, o Spinning é um dos que mais promovem queima calórica e, consequentemente, ajuda a emagrecer. Uma hora de pedaladas pode render um gasto calórico de 540 calorias, além de delinear e definir os músculos das pernas. A Cia Athletica também tem uma variação do Spinning, que é o treino The Trip, que também é realizado com aulas de bike indoor, mas associado com experiências audiovisuais. A perda calórica desse treino é de 420 calorias em 45 minutos. Corrida A corrida também é um exercício excelente para quem quer emagrecer porque promove queima calórica de aproximadamente 500 calorias em 1 hora de prática. Outra vantagem: também está entre os bons exercícios para perder barriga. Além disso, trabalha os músculos das pernas, tronco e glúteos, mas exige bastante das articulações. Para minimizar os impactos, escolha um tênis apropriado. Natação A natação é um exercício completo que trabalha braços, ombros, pernas, troncos e glúteos ao mesmo tempo. Duas horas de nado livre pode render uma queima de até 600 calorias. O exercício é indicado para performance e condicionamento físico, porém, o emagrecimento é outro objetivo que pode ser atingido com essa prática fitness. Além disso, está entre os ótimos exercícios para emagrecer os braços. Cross Swim Para quem quer fazer exercícios para emagrecer e perder barriga também, o Cross Swim é um ótimo treinamento. Especialmente desenvolvido para promover emagrecimento, combina 10 a 15 minutos de natação com 10 a 15 minutos de exercícios funcionais. Com o grande número de músculos trabalhados, envolvendo peitoral, costas, braços, pernas e abdômen, a queima é de 480 calorias em treinos de 45 minutos. Só para reforçar: alguns movimentos servem como exercício para emagrecer braço também. Pular corda Essa é uma brincadeira que fez parte da infância de muita gente, mas para alegria dos adultos faz parte de exercícios funcionais e é um ótimo treino para emagrecer. Além de ajudar no emagrecimento, desenvolve agilidade, equilíbrio, coordenação motora e tonifica a musculatura. É considerada uma prática de alta intensidade e alto impacto, portanto, fique atento a seu condicionamento para praticar e esteja com tênis adequados. Treinos funcionais O treinamento funcional é realizado com base nos movimentos naturais do corpo como andar, abaixar, pular ou correr e estão entre os principais exercícios para emagrecer rápido. Os exercícios funcionais para emagrecer usam o esforço natural e o peso do corpo como aliados. Entre eles, há treinos na postura conhecida como prancha, agachamentos, saltos, outros com pesos, etc. Essa série de exercícios para emagrecer podem ser realizados na sala Cia Todo Dia, no Cross Swin ou na sala de Orange Zone. Step Entre os exercícios para emagrecer na academia, o step é um treino que faz uma combinação de movimentos aeróbicos de baixo impacto sobre uma plataforma, que tem altura ajustável. Uma aula com variação de 30 a 60 minutos, pode promover uma queima calórica de 480 calorias, trabalhando os músculos do tronco, pernas e glúteos. Danças Muitas pessoas querem perder peso mas não gostam de algumas práticas fitness, para quem tem esse perfil, as danças podem ser ótimos estímulos para sair do sedentarismo e entrar em forma. Na Cia, existem algumas modalidades que reúnem excelentes exercícios para emagrecer mais rápido: Fit Dance Nesse treino, o estímulo para se exercitar vem das coreografias, realizadas a partir de músicas sertanejas, funk ou pop. São 45 minutos de treino que detonam 300 calorias, também proporcionando estímulo dos músculos do tronco, pernas e braços. Sh’Bam Nessa aula de dança em grupo, os ritmos exóticos e latinos dão o tom de uma grande festa, envolvendo todos com passos simples. Nos movimentos, há uma série de exercícios para emagrecer rápido com muita animação e alegria. O treino de 45 minutos promove queima de 270 calorias, além de trabalhar pernas, braços, troncos e glúteos. Leia mais: Cardápio fitness Jump emagrece Quanto tempo de exercício por dia para emagrecer? Essa resposta não é tão simples. Tudo vai depender da intensidade do exercício que você estiver praticando e até mesmo da dieta que estiver adotando. Alguns treinos de alta intensidade, como o Orange Zone, podem render grandes queimas calóricas em pouco tempo e, se você estiver consumindo alimentos saudáveis, a perda de peso será mais rápida. É importante ressaltar que quem busca o emagrecimento pode apostar em treinos aeróbicos diários, ao contrário de quem quer ganhar massa muscular, que precisa de intervalos entre os treinos para estimular o crescimento do músculo. Mas se você quer exercícios para emagrecer rápido em 1 semana, saiba que as práticas de maior intensidade vão ajudar, mas a regularidade também vai ser decisiva nos seus resultados. Mas continue firme e apostando nesse objetivo porque emagrecer proporciona mudanças dentro e fora do corpo. Qual o melhor horário para fazer exercícios físicos para emagrecer? Muita gente se pergunta e até mesmo acredita que exista um melhor horário para praticar exercícios para emagrecer, mas a verdade é que não existe. O melhor horário é sempre o que cabe dentro da rotina de cada um, não importando se é de manhã, tarde ou noite. O que vai fazer diferença não é o horário em que se pratica exercícios para emagrecer e sim a frequência, intensidade e constância. Exercícios para emagrecer: importância da prática A pressão estética leva muitas pessoas a adotar dietas malucas e treinar acima do seu limite, tentando buscar o corpo dos sonhos. Ainda assim, muitos apresentam dificuldade para emagrecer mesmo fazendo dieta e exercícios. Vale dizer que a importância dos exercícios não está só no emagrecimento e sim na melhora da saúde de quem pratica. A prática de exercícios físicos é extremamente importante para o ser humano e traz diversos benefícios para saúde e bem-estar das pessoas, como: Prevenção do desenvolvimento de doenças como hipertensão e diabetes; Controle do colesterol; Melhora do sistema cardiorrespiratório e condicionamento físico; Ajuda no ganho de massa; Fortalecimento dos músculos; Ajudam no tratamento da depressão e ansiedade, etc. O sedentarismo só cresceu nos últimos tempos, principalmente, com a pandemia, quando foi preciso que todos ficassem em casa. Segundo o levantamento realizado em 2020 pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com a Universidade Federal de Minas (UFMG) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), 62% dos 44.062 entrevistados pararam de praticar qualquer atividade física na pandemia. Pessoas que não praticam exercícios físicos se tornam sedentárias e ficam mais propensas a terem infartos, AVCs, pressão alta e diabetes tipo 2. Perder barriga e exercícios para emagrecer são os objetivos de uma boa parte das pessoas que fazem atividades físicas. Mas é preciso respeitar o seu próprio limite e fazer um acompanhamento médico, para não correr riscos de lesões, distensões ou qualquer outro problema. É importante também que as pessoas façam exercícios para emagrecer, mas o maior foco deve ser na saúde e bem-estar. Qual o melhor exercício para emagrecer: caminhada ou bicicleta? A caminhada é um dos exercícios funcionais para emagrecer, ou seja, é um exercício feito com os movimentos naturais do corpo humano, no caso, caminhar. Já a bicicleta é um exercício aeróbico, que utiliza o oxigênio no processo de geração de energia nos músculos. Mas qual deles é melhor para emagrecer? Tanto a bicicleta, quanto a caminhada podem ser ser feitas ao ar livre ou em ambientes fechados, com o uso de equipamentos. A média de peso com a bicicleta é de 400 calorias por hora, já a caminhada pode queimar entre 300 e 400 calorias por hora. Portanto, não há um exercício melhor do que o outro, ambos possuem seus benefícios e podem se complementar. É interessante intercalar os dois, para fortalecer diferentes músculos do corpo. E então? Se você quer exercícios para perder barriga, exercícios para emagrecer o rosto, pernas ou braços, em algumas das opções acima será possível atingir seu objetivo. É importante lembrar que cada pessoa manifesta uma preferência quando o assunto é realizar exercícios, seja para emagrecer, ganhar massa muscular ou apenas melhorar a resistência e o condicionamento físico. Escolha um treino para chamar de seu!

Exercícios para emagrecer: os 12 que mais detonam calorias

Atualmente é muito comum que as pessoas busquem exercícios para emagrecer, visando uma vida mais saudável, além da questão estética. Mas você sabe qual...
Quando o assunto é musculação para crianças, sempre nos perguntamos: com quantos anos pode fazer academia? Segundo estudos publicados na revista “Pediatrics” pelo Institute of Training Science and Sports Informatics, da Alemanha, e orientações da American Academy of Pediatrics (AAP), além de outras instituições, a prática da musculação para crianças é segura e, inclusive, pode ser benéfica em vários aspectos. Leia abaixo em que circunstâncias e com quantos anos uma pessoa pode começar a fazer academia. Musculação para crianças: o treino de resistência é para elas? Muitas pessoas se perguntam com quantos anos uma criança pode fazer academia, pois sabem que a prática de exercícios físicos é muito benéfica e quanto mais tempo praticando, melhor a saúde fica. Em relação à musculação, a American Academy of Pediatrics (AAP), o Institute of Training Science and Sports Informatics, American Council on Exercise (ACE) e American College of Sports Medicine e a National Strength Conditioning Association (NSCA) revelam a partir de quantos anos pode fazer musculação, ou seja, a média de tempo para iniciar é aos 9 anos, mas existe a possibilidade do treino bem conduzido ser realizado antes disso, respeitando os limites físicos da criança. E inclusive, quebraram um paradigma, ao informar que existem muitos benefícios nesta prática física nesta faixa etária. Segundo suas orientações, o treinamento de resistência é fundamental para o desenvolvimento das crianças e adolescentes. É importante ressaltar que os profissionais que se comprometem a atender esse público devem ter conhecimento técnico para que as sessões de exercício proporcionem atividades que estimulem também outras capacidades físicas além da força. A principal preocupação não é o prejuízo ao crescimento ou o aparecimento de lesões, e sim a ergonomia adequada, já que a maioria dos equipamentos é construída para adultos, que têm segmentos corporais maiores. Nem sempre, o equipamento de musculação é ajustável para as dimensões corporais infantis. Mas, com quantos anos pode fazer academia? A dúvida de com quantos anos pode começar a fazer academia é bastante comum, especialmente porque muitas crianças apresentam desde cedo esse desejo de treinamento de musculação. Entre adolescentes, muitas vezes, a vontade de frequentar uma academia surge porque alguns adultos que elas admiram frequentam um espaço de treinamentos físicos. Nesta fase do desenvolvimento, os jovens já querem ter o corpo mais forte e mais bonito. Leia mais: Treino para iniciantes Tem idade para fazer musculação? Além de querer saber com quantos pode fazer academia, muitos também querem saber sobre a musculação. Essa atividade pode ser liberada a partir dos 9 anos, principalmente, porque nesta fase a musculatura já se mostra mais madura para a prática de atividades físicas desta natureza. De acordo com os institutos que estudam a fisiologia infantil, nada impede que as crianças de uma faixa menor que os 9 anos façam exercícios utilizando o peso do próprio corpo, como flexões, agachamentos e abdominais. Os estudos revelam que até os 5 anos, as crianças podem ganhar força com saltos de sapo ou de uma perna só, enquanto as crianças mais velhas podem ter treinos de resistência combinado com aeróbicos ou outros esportes. A melhor atividade para o jovem adolescente é aquela que ele gosta de praticar. De acordo com a maturidade psicológica e interesses individuais, muitas vezes, outras atividades físicas como natação, artes marciais e esportes podem parecer mais interessantes nesta faixa etária. Quando iniciar a musculação, o treino deve ser feito em acompanhamento com um profissional, que irá supervisionar os movimentos e intensidade dos exercícios. Também é importante que a criança ou adolescente não frequente a academia todos os dias. De duas a três vezes na semana é uma boa frequência, assim os músculos podem ter o tempo necessário para descansar, embora elas se recuperem da fadiga do treinamento de resistência mais rápido do que os adultos. Mesmo assim, como os adultos, é preciso que a pessoa que irá fazer musculação passe por uma avaliação médica, para ter certeza de que está apta a realizar essa atividade. Academia na adolescência: quais os benefícios? Quando realizada a partir de um trabalho bem direcionado, a musculação para crianças e adolescentes pode apresentar benefícios para toda a vida. Entre as vantagens da academia para crianças estão o desenvolvimento físico, motor e psicológico de acordo com a maturidade de cada jovem. Isso sem contar o aumento da confiança e da autoestima. Também acontece a melhora das principais capacidades físicas essenciais ao desenvolvimento do organismo, como: força, flexibilidade, agilidade, coordenação motora, equilíbrio, resistência e velocidade. Os antigos mitos que a academia faz parar de crescer ou malhar atrapalha o crescimento têm sido constantemente derrubados. Os adolescentes que crescem muito rápido podem desenvolver alterações posturais como a hipercifose (tronco curvado e ombros voltados para a frente) e a musculação ajuda a evitá-las por meio do fortalecimento da musculatura dorsal. Estudos mais recentes mostram que a academia para crianças proporciona melhoria na concentração, fortalecimento da massa óssea, evita a hipertensão, reduz níveis de colesterol e triglicerídeos e ainda produz controle do peso. Os riscos da obesidade Infantil A obesidade infantil afeta cerca de 224 milhões de crianças no mundo. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no Brasil, uma em cada três crianças, de 5 a 9 anos, está acima do peso. E a Pesquisa Nacional sobre Demografia e Saúde (PNDS) apontou que, em 2006, 21,6% dos adolescentes entre 15 e 19 anos estavam acima do peso. Esses dados preocupam os médicos e, principalmente, os pais, que muitas vezes, por conta de uma vida bastante atribulada, não conseguem dar atenção total ao peso do filho. O sobrepeso pode trazer inúmeras consequências para as crianças e adolescentes, como diabetes, hipertensão, colesterol alto e mais. Por isso, a academia se torna uma ótima aliada, pois ajuda a combater essas e outras doenças que podem ser desencadeadas com os quilos a mais. O mais importante é oferecer um treino variado, que desenvolva as habilidades motoras, e incluir, gradativamente, a resistência sem sobrecarga, ou seja, respeitando o limite do corpo. Praticando uma atividade física prazerosa, na academia, o jovem além de se desenvolver, cuida da saúde e aumenta o convívio social. Que tal agendar uma aula experimental na Cia Athletica para o seu filho? Temos salas bem equipadas para musculação e outros exercícios, além de profissionais qualificados para prescrever treinos de acordo com a faixa etária dos frequentadores da academia.

Musculação para crianças e adolescentes de 9 a 14 anos

Quando o assunto é musculação para crianças, sempre nos perguntamos: com quantos anos pode fazer academia? Segundo estudos publicados na revista “Pediatrics” pelo Institute of Training Science and Sports Informatics, da Alemanha, e orientações da...
O treino funcional tem sido o queridinho das academias porque promove o desenvolvimento de um corpo ágil e forte a partir de aulas dinâmicas e divertidas. Entenda mais sobre os exercícios funcionais e porque você também deve investir neste tipo de treinamento. O que é um treino funcional? Se você quer saber o que são os exercícios funcionais, entenda que são movimentos baseados nas atividades do dia a dia, como puxar, agachar, correr, levantar, pular, entre outras. Para isso, são simulados treinos que vão trabalhar vários grupos musculares ao mesmo tempo, com o objetivo de desenvolver coordenação motora, força, equilíbrio e flexibilidade. O foco do treino funcional completo é trabalhar o corpo do praticante de forma que ele seja capaz de realizar as atividades cotidianas em posições que são próprias da vida real. As séries irão melhorar a forma como as pessoas se movem, e trarão alguns benefícios extras, um deles é que o treino funcional emagrece. Muita gente procura esses exercícios funcionais para emagrecer, mas acaba levando um combo. Conheça outras vantagens: Melhora a coordenação e percepção dos próprios movimentos naturais; Melhora a postura; Aumenta a força muscular; Melhora a capacidade cardiorrespiratória; Melhora o condicionamento físico; Acelera o metabolismo e queima gordura; Aumenta a estabilidade do core; Alivia o estresse. Para que serve o treino funcional? E para quem? Depois de saber o que é exercício funcional, é o momento de entender para que serve. É possível fazer treino funcional na academia, mas, além disso, também é possível investir no treino funcional em casa ou até praticar o treino funcional na areia. Além disso, todas as pessoas estão aptas a realizar os exercícios de treinamento funcional, porque desenvolvem naturalmente o corpo. Usando os padrões básicos dos movimentos funcionais, o treino é inclusive indicado para pessoas que estão se recuperando de lesões e até mulheres grávidas, justamente porque ajuda o corpo a controlar e equilibrar o próprio peso. Mas aqui vai um alerta: é prudente que as pessoas com lesões, iniciantes e mulheres grávidas não façam os exercícios sozinhos. O treino funcional na academia é o mais indicado porque haverá o acompanhamento de especialistas. Leia mais: Core Pilates Como funciona nosso corpo quando praticamos exercícios físicos? Quando alguém começa a fazer um exercício, o corpo vai mostrando os primeiros sinais como respiração mais intensa, calor e suor. Todos esses pontos são visíveis e é possível identificá-los sem necessidade de um aparelho ou conhecimentos específicos. Mas o que acontece internamente com o corpo humano ao praticar exercícios funcionais ou qualquer outro tipo de atividade física? Veja algumas reações orgânicas: Expansão dos pulmões Durante a prática dos exercícios, o corpo humano precisa de mais oxigênio do que o normal. Isso acontece porque a respiração fica acelerada e pesada, demandando mais oxigênio. Os pulmões se expandem até o máximo para fornecer mais oxigênio para o corpo. E essa expansão ajuda no fortalecimento dos músculos respiratórios. Auxílio do trânsito intestinal Praticar exercícios ajuda também no estímulo do intestino, prevenindo prisão de ventre, constipação, inflamações intestinais e até mesmo câncer de intestino. Durante a prática, são liberados hormônios que estimulam o intestino e aceleram o caminho do bolo alimentar. Liberação de endorfina Com apenas alguns minutos de atividades físicas o cérebro libera endorfina, responsável pela sensação de bem-estar e alívio das tensões do corpo. É por conta desse hormônio que, mesmo com o cansaço, sentimos uma sensação prazerosa ao terminar praticar exercícios físicos. Como funciona a hipertrofia muscular durante e após o exercício? A hipertrofia muscular se refere ao crescimento dos músculos em resposta aos exercícios físicos, alimentação balanceada e descanso. Ao contrário do que muitos acreditam, a hipertrofia não acontece durante a prática da atividade física, mas durante o tempo de descanso. No momento da atividade física, acontecem pequenas lesões nas fibras dos músculos, portanto, durante o período de descanso, o corpo repõe essas substâncias, o que promove o crescimento do músculo. Esse aumento no tamanho dos músculos não é permanente. Portanto, caso a pessoa pare de se exercitar, de se alimentar corretamente e diminua o tempo de descanso, pode acontecer do músculo começar a diminuir de tamanho. Acessórios para os exercícios de treino funcional Embora os treinos sejam baseados nos movimentos do corpo, alguns equipamentos e acessórios para exercícios funcionais vão ajudar a potencializar resultados. Para um treino funcional, o circuito pode ter: Corda naval: com vários tamanhos, esse item ajuda na ativação dos membros superiores, mas também aciona os membros inferiores e o core; Escada para treino funcional: é utilizada para aumentar a frequência cardíaca com exercícios de deslocamentos diagonais e posteriores, laterais e frontais; TRX: aparelho conhecido como fita de suspensão para exercícios que vão trabalhar a resistência do corpo; Elástico para exercícios funcionais: são faixas elásticas que ajudam na tonificação de todo o corpo e alongamento; Rolo de liberação miofascial: rolinho utilizado antes e depois dos treinos para aliviar as contrações musculares; Trenó/ dog sled: carrinho com apoios para as mãos e espaço para colocação de pesos. Com movimentos de empurrar e puxar, fortalece os membros inferiores e ativa a região dorsal; Kettlebell: é um peso de ferro fundido para melhorar a resistência e dinâmica que pode ser utilizado também no treino funcional de hipertrofia (definição muscular). Treino funcional: exercícios É importante lembrar que os treinos funcionais para iniciantes terão tempos diferentes dos que serão praticados por praticantes intermediários e avançados. Por isso, peça para o seu professor ou o seu personal trainer fazer um programa especial para o seu atual condicionamento físico. Conheça alguns exercícios funcionais fundamentais do treinamento funcional: Prancha Deite-se de barriga para baixo com as pernas bem esticadas apoiadas nos dedos dos pés, coluna bem ereta, flexione os braços e apoie-se nos cotovelos. Fique nessa posição por 30 segundos. Faça 3 repetições. Prancha com braços esticados Deite-se de barriga para baixo com as pernas bem esticadas, coluna bem ereta e apoiadas nos dedos dos pés, estique os braços para ficar bem ereto em uma posição inclinada. Fique na posição por 30 segundos. Hiperextensão da cadeia posterior Deite-se com a barriga para baixo, erga os dois braços e as duas pernas ao mesmo tempo e volte com os membros ao chão. Fique pernas e braços esticados por 30 segundos. Faça 3 repetições. Extensão do quadril Deite-se de costas, com os braços esticados ao longo do corpo, joelhos flexionados e pés no chão, afastados à largura dos ombros. Vá erguendo o quadril lentamente. Quando seu bumbum estiver em cima, permaneça na posição por 30 segundos. Faça 3 repetições. Gato Fique na posição de 4 apoios, estique o braço direito e a perna esquerda. Os dois ficarão esticados no ar, enquanto a mão esquerda e a perna direita continuam promovendo o apoio no solo. Iniciantes devem segurar por 10 segundos, para os avançados pode segurar por 60 segundos. Inverta os lados. Corrida estacionária com elevação de joelhos Esse é um exercício aeróbico. Simule o movimento que as pernas fazem durante a corrida, mas fique parado(a) no mesmo lugar enquanto se movimenta. O exercício será potencializado se conseguir subir os joelhos a 90 graus durante as passadas. Faça o movimento por 30 segundos. Faça 3 repetições. Saltos com elevação de joelhos Em pé, fique com a coluna bem ereta, realize saltos elevando os joelhos de forma alternada. Faça 3 séries de 30 segundos. Calcanhar no bumbum Pule alternando as pernas, que devem chegar na altura do bumbum. Faça 3 vezes por 30 segundos. Agachamento livre Fique em pé, afaste as pernas, estique os dois braços para frente na largura dos quadris, vá agachando lentamente. Faça 3 séries de 10 repetições. Ondulação de corda naval Em pé, com a coluna bem ereta, as pernas levemente afastadas e flexionadas, como se fosse fazer o agachamento isométrico, segure as extremidades da corda naval e faça movimentos de ondulação horizontal paralelos ao solo. É possível realizar a prática de exercícios funcionais em casa. Muitos exercícios funcionais não dependem de aparelhos ou acessórios, o que permite realizá-los em casa, mas com cautela. Entendeu sobre o treino funcional, o que é e seus benefícios, mas quer saber mais? Então, faça uma aula experimental na Cia Athletica para conhecer melhor.

Treino funcional: 13 exercícios fundamentais

O treino funcional tem sido o queridinho das academias porque promove o desenvolvimento de um corpo ágil e forte  a partir de aulas dinâmicas e divertidas.
Quem pratica corrida pode sentir uma dor na perna conhecida como canelite. Esse sintoma é provocado por uma inflamação ao longo do lado interno do osso da tíbia. Ocorre, principalmente, com iniciantes que ainda não se adaptaram às atividades ou atletas mais experientes que exageram no ritmo dos treinamentos. Vamos conhecer mais sobre canelite, tratamento, causas e como evitar neste post? O que é canelite? A STTM (Síndrome da Tensão Tibial Medial) é definida como dor e desconforto na perna, causada pela corrida praticada de forma repetitiva numa superfície dura ou por uso excessivo dos flexores do pé. É a inflamação do principal osso da canela, a tíbia. Ocorre porque, muitas vezes, a estrutura da perna não está adaptada à quantidade de exercício praticado, o que pode levar a uma sobrecarga na região. Canelite: sintomas O principal sintoma é uma dor na canela, bem característica, contínua e progressiva na região medial da perna, e também: Quando há repouso, a dor costuma aliviar, mas piora quando o praticante volta a fazer atividades físicas. Com isso, o praticante de corrida pode sofrer uma queda de desempenho, devido ao desconforto provocado pela dor na canela ao correr; Dor quando ocorre a elevação dos dedos do pé ou durante uma flexão plantar resistida; Inchaço nas pernas; Perna afetada fica sensível ao toque; Fraqueza nos pés. Os sintomas de canelite também vão definir o tipo de problema: Posterolateral: quando a dor surge atrás do osso, na parte inferior e do lado de fora da canela; Anteromedial: quando a dor aparece na parte interna da perna, na região superior à tíbia, logo na frente da canela. Canelite: causas para dor na canela A periostite medial da tíbia vai ser provocada por inúmeros fatores e não pode ser ignorada, porque pode ser preciso um sério tratamento para canelite em casos mais agudos. Veja algumas causas: Falta de alongamento de membros inferiores e superiores; Fraqueza ou encurtamento muscular; Correr jogando o peso do corpo muito para a frente; Pisar no solo com o primeiro terço do pé; Passadas muito largas; Superpronação; Calçado muito apertado ao redor dos dedos; Tênis de corrida pouco flexível; Aumento de volume de treino muito rápido; Correr sobre superfícies muito duras. Leia mais: Aplicativo de corrida Saber como evitar canelite vai passar por adotar uma rotina de exercícios complementares Entre esses exercícios complementares para evitar esse problema está o alongamento, mas além de saber que alongar-se é preciso, também é indicado um trabalho de fortalecimento muscular. Além disso, outros cuidados importantes são: Não praticar exercícios físicos sem orientação adequada; Usar calçado adequado para seu tipo de pisada e esporte; Fazer sempre aquecimentos antes da prática esportiva; Usar palmilhas para absorver o impacto; Não passar do limite do próprio corpo durante os exercícios; Descansar entre as atividades; Consultar o médico antes de começar a fazer uma atividade para que ele possa fazer uma avaliação; Durante a prática, ao primeiro sinal de dor, pare os exercícios e procure um médico. O que acontece se ignorar a canelite? Se a pessoa tratar a canelite como uma dor comum por conta do treino, provavelmente, irá progredir para uma fratura por estresse dos ossos. Canelite: como curar? Uma grande dúvida é se a canelite tem cura e a responsa é: sim! Como tratar canelite? Mais do que buscar um remédio para canelite de forma caseira, ou seja, valendo-se de conselhos de leigos, como só colocar gelo nas pernas ou usar rolo de espuma para aliviar a dor, é preciso ter o diagnóstico correto com o ortopedista para entender qual será o melhor tratamento. Para isso, o médico poderá pedir radiografias, para constatar se é um problema de formação irregular ou uma hipertrofia cortical da tíbia. Mas também podem ser solicitadas ressonância magnética, que pode indicar um edema periosteal; ou cintilografia óssea, para demonstrar se há lesões longas longitudinais. Mas se antes do tratamento médico, o praticante já estava tentando minimizar apenas fazendo um alongamento para canelite, mas ainda sentindo dores, é preciso ter consciência que outras medidas vão ajudar muito a diminuir o desconforto e a inflamação. Canelite: tratamento Existe tratamento para canelite e é preciso investir em alguns cuidados. Veja abaixo como tratar canelite: Anti-inflamatórios para canelite (orientados por um ortopedista); Repouso relativo (evitando exercícios de impacto); Fisioterapia (exercícios para canelite); Crioterapia (gelo) por 20 minutos de 3 a 4 vezes ao dia; Eletroterapia para analgesia; Alongamentos do tríceps sural (panturrilha); Fortalecimento gradual dos músculos tríceps sural, tibial anterior, tibial posterior e fibulares; Exercícios de propriocepção; Correção da pisada (palmilhas personalizadas); Uso de calçado adequado. Quer aprender como correr corretamente e receber uma prescrição de treinamento equilibrada, evitando a canelite? Procure a Cia Athletica!

Canelite: o que é, como prevenir e como tratar?

new RDStationForms('e-book-livro-de-receitas-form-2b618c1fd1a110e7d820', 'UA-55297958-10').createForm(); Quem pratica corrida pode sentir uma dor na perna conhecida como canelite. Esse sintoma é provocado por uma inflamação ao longo do lado interno do...

O que é treino cardio?

Vivemos em uma sociedade marcada pelo sedentarismo, acompanhada de maus hábitos alimentares e níveis elevados de estresse. O treino de cardio é uma ótima opção para quem deseja se cuidar ao máximo.
Correr ajuda a melhorar a circulação, é um ótimo treino cardio e aumenta a força muscular, mas participar de um grupo de corrida pode ser melhor ainda.

Grupo de corrida: 4 segredos para escolher o seu

Correr ajuda a melhorar a circulação sanguínea, é um excelente treino cardio e auxilia no aumento da força muscular, mas participar de um grupo de corrida pode ser melhor ainda para os seus resultados. Correr...

Treino de ombro: 8 exercícios top

Braços, pernas, glúteos e abdome, todas essas partes do corpo devem ser treinadas para manter a boa forma. Mas você já pensou na importância de um treino de ombro? Esse grupo muscular merece muita atenção...
Não é de hoje que os benefícios dos exercícios físicos para a saúde são ressaltados, mas você sabia que existem práticas fitness que podem ajudar até a evitar a osteoporose? Saiba aqui quais o que causa osteoporose e os exercícios que ajudam a prevenir essa doença nos ossos. O que é a osteoporose? A osteoporose é uma condição que pode surgir no organismo após os 45 anos em homens e mulheres. Isso ocorre porque a massa óssea que é produzida até os 20 anos de idade, começa a se perder a partir dos 40 anos. A relação entre osteopenia e osteoporose é íntima. Enquanto a primeira nomenclatura trata-se da primeira etapa pré-clínica da degeneração óssea, quando começa o desequilíbrio entre as células de absorção e as de regeneração, a osteoporose representa a fragilidade óssea, a doença já instalada no corpo. A osteoporose na coluna é um dos pontos afetados pela doença, porém, as pernas e quadris também são alvos da perda óssea. Um osso com osteoporose é frágil e poroso, então, com isso, é possível dizer que osteoporose dói. O que causa a osteoporose? Entre as causas da osteoporose, o envelhecimento é fator principal, mas outros aspectos da vida da pessoa também favorecem, por exemplo, fatores genéticos, pouca exposição ao sol, sedentarismo, baixo consumo de cálcio, ser fumante e a menopausa, além de ter diabetes e fazer uso de corticoides. Já nos homens, além de todos esses fatores, uma produção baixa de testosterona também vai provocar perda óssea. São vários tipos de osteoporose que podem ser diagnosticadas, como osteoporose senil, osteoporose pós-menopausa, osteoporose secundária, osteoporose em homens. Entre os sintomas da doença, o mais evidente é o aumento dos riscos de fraturas no fêmur, costela e quadris, mas também é possível observar dores, desajustes de equilíbrio e postura, além de dificuldades para realizar tarefas cotidianas. Como prevenir a osteoporose? Muitas pessoas perguntam se osteoporose tem cura. Não tem, mas embora seja um processo fisiológico, a qualidade de vida da pessoa também vai interferir muito no avanço dessa perda óssea. Por isso, muitos exercícios físicos podem ajudar a retardar e prevenir a perda da massa óssea. Então, o que é bom para osteoporose? Entre os melhores exercícios para evitar esse problema estão a musculação, corrida, a caminhada e a dança, além dos exercícios de flexibilidade, como pilates e alongamento. Musculação e treinos funcionais Os exercícios de sustentação de peso ou de carga vão conceder mais força nos ossos e são considerados excelentes para prevenir o problema. Esse treino é um verdadeiro remédio para osteoporose. Os exercícios vão fazer com que tendões e músculos puxem os ossos, consequentemente, vai haver estimulação das células ósseas, o que vai ajudar a “criar” mais ossos. O peso do próprio corpo, os halteres e aparelhos de ginástica vão servir imensamente como tratamento para osteoporose. Porém, há estudos que também revelam que, além dos exercícios de sustentação de pesos, aqueles de alto impacto, como os treinos funcionais, também poderão produzir ótimos efeitos para reduzir o problema. Entre os ótimos exercícios estão as flexões, abdução, adução e extensão de quadril, mas existem vários outros para reduzir as chances de um atleta ter essa doença. Dança, Spinning, Caminhada e Corrida A dança, o Spinning, a caminhada e corrida estão entre os exercícios aeróbicos mais indicados para a prevenção da osteoporose, porque realizam a sustentação do peso do corpo nas pernas, o que vai promover trabalho das células de regeneração óssea. Mas como os aeróbicos são ótimos para prevenção da doença, exercícios cotidianos como subir escadas também vão ajudar. Exercícios de flexibilidade Alguns exercícios de flexibilidade, como Yoga, pilates e alongamentos, vão possibilitar a prevenção do problema, porque promover uma extensão de articulações em toda a extensão do movimento vai trabalhar também a musculatura, que precisa estar aquecida antes de começar os exercícios. Os exercícios de tração e tensão do pilates e da Yoga vão melhorar a força e a flexibilidade, o que vai possibilitar a remodelagem óssea. Conclusão Como se percebe, exercícios físicos realizados com orientação são imensamente benéficos para a saúde e para a mente. Com eles, será possível até evitar a necessidade de medicamentos para osteoporose. Aposte em um estilo de vida mais saudável e só terá ganhos.

Osteoporose: conheça os melhores exercícios para evitar o problema

Não é de hoje que os benefícios dos exercícios físicos para a saúde são ressaltados, mas você sabia que existem práticas fitness que podem ajudar até a evitar a osteoporose? Saiba aqui o que causa...

Os 10 melhores exercícios para glúteos

Que mulher não quer um bumbum durinho e bem torneado? Tem solução para isso? Sim, pratique os melhores exercícios para glúteos para tonificar os seus! Veja neste post os melhores exercícios para glúteos na academia...